Surpresas Não Tão Boas ao Comprar Aparelho de Audição

Surpresas não tão boas com Aparelho auditivo.Se você está procurando uma empresa de aparelho auditivo para comprar aparelho, procure observar algumas dicas importantes para não ser surpreendido negativamente. Mesmo que você já tenha comprado e acha que sabe “onde pisa”, é interessante entender os meandros da compra. Infelizmente, vamos abordar o lado negativo a evitar. Ou seja, em aparelhos auditivos, para você fazer uma “boa compra” é necessário não se enganar.

De um lado, o mercado de aparelhos auditivos vem crescendo. De outro lado, a oferta tem aumentado muito mais, isso saturou o mercado. É muito bom para o consumidor em termos de competição, mas péssima em termos de qualidade dos competidores. Atualmente, aparecem dúzias entre novas empresas e pessoas (pseudo-empresa), por ano, na região da Grande SP. E, como não há mercado para tanto – um tanto fecha. O tempo de vida médio despencou com a rotatividade. Embora o tempo de fundação da empresa não seja o fator decisivo neste mercado, é interessante verificar a idade da empresa, onde menos de uma década é pouco.

No caso de compra de aparelhos com pessoas e não com empresas, você não tem a menor garantia de continuidade do atendimento. Pois, a pessoa que atendeu pode sumir com facilidade – porque o local onde ela atende não tem vínculos legais com ela. A pessoa é uma “associada” do local. Além disso, é uma situação ilegal que você estará ajudando ativamente.

Você poderia pensar: “Não vejo problemas. Porque o local onde fomos atendidos era bem descente”.

Neste caso, procure observar dois detalhes: se a principal atividade do local é de venda de aparelho auditivo e se as principais pessoas do local estão dedicadas à venda de aparelhos auditivos. Se não for afirmativo para as duas questões, é quase certo que não existe a empresa legalizada para isso: é uma atividade clandestina, por mais incrível que possa parecer.

A existência de uma empresa constituída para a venda de aparelhos auditivos é do teu interesse. Pois, se no local onde você é atendido não é legalizado, ela não precisa atender as exigências da vigilância sanitária e de nenhum outro órgão obrigatório. Estas exigências estão a seu favor. Pois, o objetivo é proteger o consumidor-usuário dentro das condições mínimas necessárias. Se os documentos não são do local, você não tem as garantias reais do que está pagando.

Lembre-se que não é possível registrar mais de uma empresa no mesmo endereço. E, quando é possível registrar mais de uma atividade na mesma empresa, muitas não são autorizadas, por haver conflito de interesses.

O outro tipo de problema é das empresas legalmente constituídas que podem dar dor de cabeça ao comprador de aparelhos auditivos. O princípio da honestidade com o consumidor é a lisura das atividades da empresa. Ou seja, se a empresa atua “artificialmente” para te seduzir, é improvável que a empresa seja honesta e justa com você.

Vamos analisar alguns “artifícios” utilizados pelas empresas que querem “botar a mão” no seu dinheiro a qualquer custo.

Normalmente, a quantidade de locais de atendimento é um fator que define o porte da empresa. Portanto, uma empresa de porte confere mais tranquilidade relativamente a empresas com apenas um ou dois locais. Apesar disso, é importante identificar o tipo dos “locais de atendimento”.

A primeira questão, dos locais, é se eles são próprios ou de “representantes”. São muitas “pessoas associadas” como descritas anteriormente. Portanto, é necessário tomar muito cuidado, mesmo se a quantidade de “clínicas” for muito grande. Se o endereço da atuação for de uma outra atividade principal e se não houver uma empresa constituída legalmente para a venda – então, não é um “franqueado”, é uma atividade clandestina.

A segunda questão, da quantidade de locais, é o tipo de relacionamento entre estas “empresas”. Elas podem ser totalmente independentes (se não pertencer ao mesmo dono) e apenas dividem as despesas de publicidade para parecer que pertencem a uma rede. Neste caso, elas podem até compartilhar com alguma colaboração, enquanto não for para atender o problema do outro.

Com a facilidade da Internet, muitas empresas têm conseguido parecer muito mais que são. Com isso, algumas empresas pequenas e precárias estão conseguindo estar nas primeiras posições nos portais de buscas. É mérito de qualquer empresa se trabalhado dentro da ética e da justiça (fair). Mas, algumas abusam de brechas e técnicas condenadas, que os portais ainda não detectam. O único mérito desse tipo de empresa é o de driblar os portais e ganhar o seu dinheiro de forma “esperta”. (veja algumas dicas, neste site, na opção Curiosidades\Picaretagem)

A Internet é ao mesmo tempo boa e perigosa, para este mercado. Se o site for muito pequena e precária, a empresa também será. Mas, se o site parecer muito bonito, grande ou impressionante, analise bem todos os sinais. E, tente se cercar de vários elementos coerentes para garantir a sua segurança.

As piores empresas abarrotam o site com material “obtido” de outros sites por falta de competência em gerar o próprio site. A Laysom conseguiu obrigar alguns desses sites a parar de utilizar o material de uso exclusivo da Laysom. Mas, por conta da impunidade, eles são inacreditáveis, incansáveis e inescrupulosos.

Existem sites que vendem “aparelho auditivo” por internet. Isso é uma brincadeira ilegal – e, tem tudo para ser produto contrabandeado. Nestes sites, o “aparelho auditivo” é vendido como um produto eletrônico qualquer e não divulgam o endereço físico. Tem até o que não tem nem telefone: é brincadeira de mau gosto.

O aparelho auditivo, no momento da compra, tem alguma semelhança com as jóias. O aparelho auditivo, propriamente dito, é pequeno e caro como uma jóia. E, você compraria uma jóia pela Internet de empresa sem tradição, que nunca ouviu falar? Você compraria uma jóia em um local em que a especialidade não é de venda de jóias? Você compraria uma jóia de uma empresa que vive de truques para seduzir o comprador?

Arriscar, no momento de comprar uma jóia, é arriscar a ficar com uma bijuteria. Na área de aparelhos auditivos, nem um técnico especialista tem condições de afirmar que a empresa não está te enganando.

O perigo não acaba aí. O aparelho auditivo requer acompanhamento para assistência e ajustes. Por este lado, podemos comparar com os carros. Se você compra um carro de uma montadora sem porte e sem estrutura na tua região, você poderá ganhar uma dor de cabeça cara. Quando a empresa é precária, ela procura aparentar ter preço campeão. (veja mais sobre preços, neste site, na opção Dicas\Quanto Custa) Em geral, elas divulgam muito: preços, promoções e descontos. Elas são extremamente comerciais e esquecem que estão trabalhando na atividade de saúde. E, várias focam exageradamente no produto, mostrando modelos e informações técnicas no site.

Como milagre não existe, estas empresas de “puro comércio” economizam nos procedimentos e ocultam informações, que vão se tornar a sua dor de cabeça. O problema nestas empresas, que aplicam algum tipo de “vantagem”, é que, com estas empresas, você não terá garantias reais mesmo se pagasse caro.

Se a empresa representante ou centro auditivo for pequeno, o próprio dono poderia fazer as traquinagens; e o consumidor não perceberia. Neste caso, não importa se a pequena empresa representa uma outra empresa bem estruturada. É uma situação bem diferente das empresas que trabalham com estruturas organizadas; onde o processo de trabalho depende de muitos funcionários e isso inviabiliza as trapaças ao consumidor.

O mercado não é composto apenas de empresas que tem tudo de ruim e outras totalmente boas. Tem empresas com uma ou mais características de alto risco para os consumidores. O importante é você se cuidar e se proteger através de informações, percepção e julgamento. Pois, tem muitas empresas boas que fazem valer a pena, é só escolher bem.

Boa compra e boa audição feliz!

0 Comentários

Deixe o seu comentário!




 

*