Uma boa empresa ou um bom aparelho auditivo

O que é importante na escolha: uma boa empresa ou um bom aparelho auditivo?

Para a escolha da empresa, existem muitos pontos a considerar. Nem todos de fácil verificação.

a. O que está coberto após a compra é um fator importante; pois, algumas empresas têm alguns poucos serviços padronizados, depois disso, tudo é cobrado.

b. Outro aspecto é o tempo de existência da empresa. Tem empresas que utilizam a fase como funcionário ou um falecido parente como “tempo de empresa”. Nem toda pequena empresa merece desconfiança, mesmo porque todas já foram pequenas; entretanto, tem “empipocado” grande quantidade de pequenas que tendem a desaparecer, pela saturação.

c. Várias empresas estão procurando “pousar de grande” através da Internet, criando um porte virtual. Algumas criam unidades que ficam fechadas e só atendem com hora marcada, outras não têm fonoaudiólogos em tempo integral; em outras, você é cliente de apenas uma unidade, mesmo que seja uma rede. Boa parte abre unidades apenas para poder constar mais endereços, não investem em estrutura, é simplesmente um escritório, já é “meio fechada”.

d. A questão de marcas de aparelhos que a empresa representa é um fator importante. No exterior, as empresas trabalham com quatro a cinco marcas, em média. Nenhuma marca isolada tem o melhor aparelho e nem tem a um custo competitivo para todos os casos. A normalidade pode ser muito semelhante, mas a perda auditiva é muito diversificada e é única.

e. Para se ter um aparelho bom e adequado a um valor compatível, é mais importante fazer a escolha certa da empresa do que focar no aparelho. Pois, de que adianta uma empresa que só trabalha com uma marca de grife se esta marca não têm o aparelho adequado para a pessoa? E, o que adianta ter bons aparelhos se a empresa sumir ou não tiver pessoal competente para fazer uma boa adaptação? O que adianta uma empresa ter várias marcas boas se vai cobrar muito caro pela assistência, no pós-vendas? O que adianta se a “empresa” que te atende é de uma única pessoa, mesmo que de uma “grande rede”?